fbpx

O que aprendemos com a nova identidade visual da Igreja Adventista

Google+ Pinterest LinkedIn Tumblr +

Eu já havia assistido a este vídeo logo que foi lançado (em outubro do ano passado), mas com a correria do dia-a-dia, acabei não fazendo matéria nenhuma sobre ele, mas percebi que muita gente ainda não conhece este projeto e podemos aprender muita coisa com ele!

Não vou falar sobre o desafio da padronização da identidade visual nas igrejas aqui, porque é conteúdo para outra matéria! Vamos focar só neste case da Igreja Adventista ok?!

O desafio

A igreja Adventista hoje, conta com mais de 20 milhões de membros no mundo todo e tem igrejas em mais de 200 países. Se você acha um desafio padronizar a identidade da sua igreja com 5,10,20 congregações, imagina para uma igreja desse porte.

Quem está por dentro do departamento/ministério de comunicação das igrejas, sabe da dificuldade que é conseguir manter o padrão de uso do logo. Por mais simples e mastigado que você deixe, sempre vai ter um ou outro (ou vários), que vão fazer o uso indevido da marca. Esticar, achatar, mudar de cor, nome, fonte.. em fim, a criatividade nessas horas não tem fim!

Pensando em solucionar este problema, a equipe do departamento de comunicação da Igreja Adventista mundial, desenvolveu um guia de uso da marca.
Fizeram um vídeo explicativo do que pode e não pode e sugestões de uso e aplicação.

Pontos que me encantam

Mas o que mais me chamou atenção não foi só isso, foi que no desenvolvimento da nova identidade, eles simplificaram a marca com a preocupação da aplicação para as diversas línguas e nações.

Para isso criaram uma fonte exclusiva deles, a Advent Sans, tendo a possibilidade de uso em mais de 91 dialetos até agora, e já com o objetivo de alcançar 200 línguas até 2020, e também alteraram as cores padrões da marca.

Outro ponto que me encanta nesse projeto é que eles conseguiram trazer a fé para o papel.
– “Como assim Patricia?”
Explico: Eles celebram o sábado, e trouxeram esse conceito do sétimo dia, para uma “sétima parte da arte”, ou seja, uma forma visual de transmitir no que eles acreditam e celebrar este dia. De quebra, eles ganharam um apelo visual forte, chamativo, sólido e padronizado.

O vídeo

Chega de lenga-lenga, e assista ao vídeo! São 6 minutos que valem a pena, então vá até o final.
Este é o vídeo em português, feito lá na TV Novo Tempo, o original você pode ver aqui.

Conclusão

Eu não sei vocês, mas eu aprendo várias coisas; vou citar aqui só algumas:

  • Identidade Visual também evangeliza, também transmite a visão da igreja.
  • Amar o próximo – Pensar na aplicação e uso em outras línguas e países.
  • Levar a sério (neste caso levaram a nível profissional) a forma como instruímos o uso da nossa marca aos outros (fazendo vídeos, explicações em site e etc).
  • Organização – Isso eu admiro muito nos adventistas, são extremamente organizados nos projetos que executam, pensando em todos os passos; Planejamento, execução, finalização e conclusão.

Gostou da matéria? Deixa aqui sua opinião,  comentário e compartilhe suas experiências com a gente!

 

Share.

About Author

Patricia Kashima é cristã, empreendedora, social media, criadora de conteúdo e co-fundadora da Igreja Multimídia. Já atuou como líder de comunicação em igreja de grande porte, onde estruturou toda a comunicação e equipe, trazendo uma nova visão para a igreja. Hoje, atua ministrando cursos, treinamentos, fazendo criação de conteúdo e projetos para igrejas além de dar consultoria e palestras em eventos e Igrejas.